UM BLOG A SERVIÇO DE CRISTO

domingo, 29 de janeiro de 2012

193 - LUTANDO COM DEUS!


“Ao fiel te revelas fiel, ao irrepreensível te revelas irrepreensível, ao puro te revelas puro, mas com o perverso reages à altura.” (Salmos 18:25-26)

É interessante como Deus veio a pessoas diferentes na Bíblia.

Para Abraão, Deus veio como um viajante.

Abraão estava fora de sua tenda quando três mensageiros chegaram.

Dois eram os anjos, enquanto um era o próprio Deus.

Sabemos que Jesus disse:

“Abraão, pai de vocês, regozijou-se porque veria o meu dia; ele o viu e alegrou-se” (João 8:56).


Por que o Senhor veio a Abraão como um estrangeiro?

Porque isso é o que Abraão era.

Na noite antes de Israel começar o cerco a Jericó, Deus apareceu para Josué, o comandante do exército de Israel, como o comandante do exército do Senhor.

Quando Deus veio até Jacó, Ele veio como um lutador, e Jacó lutou com ele.

Por quê?

Jacó estava sempre lutando, fazendo esquemas, resistindo e lutando para conseguir o que queria.

Talvez você se identifique com Jacó.

Talvez haja algo que você quer de Deus, mesmo uma coisa boa, como a salvação de um marido ou esposa.

Talvez você esteja cansado de ser solteiro e quer se casar.

Ou talvez você queira servir a Deus em um ministério.

Não faça esquemas, porque você pode conseguir o que quer, mas a um alto custo.

Jacó conseguiu o que queria e pagou caro por isso.

Eu acredito que se ele tivesse esperado em Deus, ele teria recebido o que precisava e que Deus lhe havia prometido.

Deus quer fazer a Sua vontade em nossas vidas à Sua maneira e ao Seu tempo.

Se precisar de algo de Deus, seja paciente e espere em Deus.

Deus vai encontrá-lo onde quer que esteja para levantá-lo até onde Ele quer que você vá.


Que Deus abençoe a todos.


Fonte: http://www.deusdaminhavida.blogspot.com/


*VISITE TAMBÉM: ARSENAL DO CRENTE - http://arsenaldocrente.blogspot.com/ - VALE A PENA. Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

domingo, 22 de janeiro de 2012

192 - ENXERGANDO ALÉM


Quando Jesus e seus discípulos estiveram em Jerusalém, depararam-se com um homem que era cego desde o seu nascimento.

Isso gerou uma pergunta na mente dos discípulos com a qual eles devem ter-se debatido por um bom tempo.

Perguntaram:

Quem pecou:

este homem ou seus pais, para que ele nascesse cego? (João 9:2).

O dilema baseava-se em uma suposição equivocada, a lição comum à época de que as doenças eram sinais do juízo de Deus.

Não restava dúvida, em seu modo de pensar, de que alguém havia pecado.

Mas quem?

Os discípulos estavam tentando, a partir de sua limitada perspectiva, responder a uma pergunta que muitas vezes nos pegamos fazendo.

Por que aconteceu isso?

Por que meu filho se envolveu com drogas?

Por que meu pai teve câncer?

Por que nossa casa foi consumida pelo fogo?

Por que eu perdi meu emprego?

Por que fui processado?

As perguntas são intermináveis.

Cada um tem sua lista específica.

Algumas vezes há tanta emoção envolvida, que nem mesmo nos atrevemos a nos permitir verbalizar a frustração que sentimos, porque perguntar e não encontrar uma resposta franca e direta pode vir a ameaçar as bases do que cremos a respeito de Deus e de sua bondade.

E, mesmo assim, a pergunta ainda permanece.

Tal qual os discípulos, somos inclinados a olhar para as adversidades de uma forma limitada.

Em sua resposta à pergunta dos discípulos, Jesus revela mais um erro que contaminava a teologia de seus dias.

No entanto, sua resposta vai além:

nos esclarece e apresenta uma perspectiva muito mais ampla acerca do sofrimento do que aquela sustentada pela maioria.

Sua resposta oferece esperança para aqueles que, por muito tempo, têm tido medo de perguntar o porquê.

Ela nos permite olhar para além de nós mesmos, o que já é em si mesmo um progresso.

Jesus respondeu:

“Nem ele nem seus pais pecaram”.

Em outras palavras, sua forma de pensar é muito limitada, vocês precisam pensar sob algumas novas categorias.

Jesus respondeu:

Nem ele nem seus pais pecaram, mas isto aconteceu para que a obra de Deus se manifestasse na vida dele (João 9:3).

Esta afirmação traz implicações surpreendentes.

A frase :

“isto aconteceu para que”
expressa propósito.


Havia um propósito de Deus para a cegueira daquele homem.

Os discípulos viam sua cegueira como o resultado de algo.

Jesus, entretanto, fez com que soubessem, de forma muito clara, que aquela cegueira não era o resultado de nada que o homem fizera.

Que a cegueira daquele homem era parte do propósito de Deus.

Jesus curou aquele homem.

Então, ele e os demais se depararam com o poder e a misericórdia do Pai.

A cura do cego foi mais além do que o fim da cegueira física, ouve uma cura espiritual que se estendeu para aqueles que assistiram o milagre do Senhor.

Bem mais importante do que a fonte da adversidade é a reação diante dela.

Por quê?

Porque a adversidade, não importa a fonte, é o instrumento mais eficaz de Deus para aprofundar a fé e o compromisso com Ele.

As áreas onde se experimenta a maior adversidade são as áreas em que Deus está atuando tenazmente.


Charles Stanley


Que Deus abençoe a todos.


Fonte: http://www.ibamc.blogspot.com/


*VISITE TAMBÉM: ASSEMBEREIANOS - http://kdjesus.blogspot.com/ - VALE A PENA. Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

domingo, 15 de janeiro de 2012

191 - PARA A GLÓRIA DE DEUS


“Assim, quer vocês comam, bebam ou façam qualquer outra coisa, façam tudo para a glória de Deus.” (1Co 10:31)

Uma pesquisa diz que 50% dos cristãos acreditam que a felicidade e a realização pessoal são o propósito da vida.

Em outras palavras, eles acreditam que Deus os colocou na Terra para que pudessem ser felizes e ter realização pessoal.

Mas não é isso o que a Bíblia ensina.

Muitas e muitas vezes a Bíblia nos ensina que fomos criados para dar glória a Deus.

O profeta Isaías disse:

“Todo o que é chamado pelo meu nome, a quem criei para a minha glória, a quem formei e fiz.” (Is 43:7).


Nós fomos criados para dar glória a Deus.

Portanto, devemos glorificá-Lo em tudo o que fazemos com nossas vidas, como o apóstolo Paulo nos lembra:

“A fim de que nós, os que primeiro esperamos em Cristo, sejamos para o louvor da sua glória.” (Ef 1:12).


Paulo também nos diz:

“Assim, quer vocês comam, bebam ou façam qualquer outra coisa, façam tudo para a glória de Deus.” (1Co 10:31).


Ele diz também:

“Vocês foram comprados por alto preço. Portanto, glorifiquem a Deus com o corpo de vocês.” (1Co 6:20).

Fomos criados para glorificar a Deus.

Portanto, deveríamos refletir um pouco a respeito disso e perguntar:

Como posso glorificar a Deus?

Tenho buscado a vontade de Deus para minha vida?

Tenho andado da maneira que Ele quer que eu ande?

Tenho feito o que Ele quer que eu faça?"

É nesse compromisso de Lhe dar glória que a nossa vida encontra o propósito, o significado e a felicidade que procuramos.

Que Deus abençoe a todos.


Fonte: http://www.ipdepn.com.br/


*VISITE TAMBÉM: PAPO DE CRENTE - http://www.papodecrente.com/ - VALE A PENA. Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

domingo, 8 de janeiro de 2012

190 - SOB À LUZ DO SEU PROPÓSITO


“Meus irmãos, considerem motivo de grande alegria o fato de passarem por diversas provações, pois vocês sabem que a prova da sua fé produz perseverança.

E a perseverança deve ter ação completa, a fim de que vocês sejam maduros e íntegros, sem lhes faltar coisa alguma.” Tiago 1:2-4


Conheço diversas pessoas que estão de mal com Deus por causa da adversidade que interferiu em seus caminhos.

Um certo homem se recusa a colocar os pés na igreja porque não conseguiu a promoção que julgava merecer.

Uma mulher está zangada com Deus por Ele não ter impedido sua filha de se casar com um homem que não a faz feliz.

Uma moça renega o nome de Deus por causa de uma grave doença que acometeu sua mãe.

A tragédia em cada um desses casos é que essas pessoas deixaram a espiritualidade do lado de fora de suas vidas.

Não poderão avançar nem um centímetro espiritualmente até que tenham mudado suas perspectivas acerca da adversidade.

O próprio elemento que Deus permitiu penetrar em suas vidas, como um incentivo para o seu crescimento, levou-os a um estado de coma espiritual.

Por quê?

Porque se recusaram a aceitar que “a perseverança deve ter ação completa [até a maturidade]”, como se observa na passagem de Tiago transcrita acima.

A menos que se esteja comprometido com o processo de amadurecimento e de crescimento espiritual, não se pode experimentar a paz e a sabedoria divina que Tiago conhecia, nem pode haver nenhuma alegria em meio ao sofrimento.

Eu os encorajo a que abram seus olhos para a fidelidade de Deus, e os seus corações para todas as lições que Ele anseia por lhes ensinar em meio às circunstâncias em que estão vivendo.

Que possam saborear a vitória, à medida que descobrem a perspectiva da vida que o Senhor tem para cada um de vocês.

A bondade e o poder de Deus não podem ser medidos à luz da tragédia e da adversidade que experimentamos dia sim, dia não.

Caso Sua bondade deva ser questionada, que o seja À LUZ DO SEU PROPÓSITO.

É Deus que enxugará toda lágrima.

É Deus que fará desaparecer o choro, a dor e a tristeza.

Por que fará tudo isso?

Porque Ele é um Deus bom e fiel.

Como poderá fazer essas coisas?

Pela força do Seu poder.

Ele é o Todo-poderoso Soberano do universo.

Nada é difícil demais para Ele.


Charles Stanley


Que Deus abençoe a todos


Fonte: http://www.ibab.com.br/


*VISITE TAMBÉM: TEOLOGIA PENTECOSTAL - http://www.teologiapentecostal.com/ - VALE A PENA Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

domingo, 1 de janeiro de 2012

189 - FELIZ ANO NOVO EM CRISTO JESUS!


"No novo ano tudo vai ser diferente!Vou deixar meus maus hábitos!"

Você também tomou resoluções desse tipo, usando a mudança de ano como data para uma virada em sua vida?

A cada novo ano, muitas pessoas tomam resoluções radicais para suas vidas.

A mudança de ano vem acompanhada de uma certa aura de transformação, levando-nos a crer que nessa data será mais fácil romper com maus hábitos e superar fraquezas de caráter.

O que sobra de todos esses bons propósitos?

O que resta das decisões tomadas em datas aparentemente significativas?

Talvez alguns se lembrem que no dia 9/9/99 foram realizados muitos casamentos em diversas partes do mundo.

E agora certamente os primeiros desses matrimônios já estão desfeitos.

Harmonia rompida e promessas de fidelidade não cumpridas levaram ao fracasso.

Pedro garantiu certa vez a seu Mestre:

"Ainda que me seja necessário morrer contigo, de nenhum modo te negarei" (Mt 26.35) – mas ele falhou vergonhosamente.

Será que o comportamento desse discípulo não espelha nossos próprios propósitos vãos?

Será que também nós não falhamos repetidamente?

Paulo escreve:

"Porque não faço o bem que prefiro, mas o mal que não quero, esse faço" (Rm 7.19).

Muitos de nós procuram desculpar e minimizar suas falhas, dizendo:

"Paulo também era assim..."

Mas ele, nessa passagem, procura apenas demonstrar a luta entre o bem e o mal dentro de cada um de nós.

Em outras passagens fica muito claro que ele estava empenhado com todas as suas forças em viver uma vida vitoriosa.

Paulo prosseguia em direção ao objetivo, em direção a Cristo:

"...prossigo para o alvo..." (Fp 3.14).


No caso de Daniel, a chave para sua vida vitoriosa estava muito bem definida.

Ele também chegou ao ponto em que tomou uma resolução:

"Resolveu Daniel, firmemente, não contaminar-se com as finas iguarias do rei, nem com o vinho que ele bebia" (Dn 1.8).


Daniel conseguiu colocar sua resolução em prática porque, mesmo sob ameaça de morte, em nenhuma circunstância deixou de orar três vezes por dia ao seu Deus:

"três vezes por dia, se punha de joelhos, e orava, e dava graças, diante do seu Deus, como costumava fazer" (Dn 6.10b).


Esse hábito era algo natural para ele.

Mas é justamente nesse ponto que todos os nossos bons propósitos falham.

Estamos dispostos, temos o firme propósito de deixar de lado maus hábitos e velhos defeitos.

Dizemos a nós mesmos:

"A partir de 1º de janeiro vai ser para valer!"


Mas falharemos vergonhosamente mais uma vez se apenas deixarmos os maus costumes de lado, sem nos habituarmos a levar uma vida realmente voltada para Deus.

Como está nossa relação com Deus?

Tornou-se hábito para nós ler Sua Palavra, orar e servi-lO?

Acerca de Jesus está escrito:

"E, saindo, foi, como de costume, para o monte das Oliveiras; e os discípulos o acompanharam. Chegando ao lugar escolhido, Jesus lhes disse:

Orai, para que não entreis em tentação" (Lc 22.39-40).


É nesse sentido que o blog CAMINHO PLANO deseja a todos um ano muito abençoado, um ano em que nossos hábitos e costumes nos levem para mais perto de nosso Senhor e Mestre.

"Orai, para que não entreis em tentação!"

FELIZ ANO NOVO EM CRISTO JESUS!



Que Deus abençoe a todos.


Fonte: http://www.chamada.com.br


*VISITE TAMBÉM:
MINISTERIO BEREIA - http://ministeriobbereia.blogspot.com/2011/12/como-vai-ser-2012.html - VALE A PENA Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Template Rounders modificado por ::CAMINHO PLANO::
| 29/11/2008 |